Logo | Ápex Odontologia

A relação entre estresse e Saúde Bucal: como o estresse afeta os dentes e a gengiva

Tempo de leitura: 3 min.

O estresse provoca uma série de desequilíbrios no organismo, e isso também afeta os tecidos bucais. Ele favorece as inflamações, contribui para a formação de cárie, tártaro, entre outros problemas que comprometem a saúde do sorriso como um todo.

A imagem mostra uma mulher com expressão de dor, pressionando as mãos contra a cabeça. O fundo é azul, destacando seu desconforto, possivelmente relacionado ao estresse.

Você já deve ter ouvido falar que o excesso de estresse traz complicações para o coração, por exemplo, e pode desregular os hormônios de uma pessoa, entre outras efeitos negativos. Mas o que nem todo mundo sabe é que se estressar também prejudica a saúde bucal.

Isso pode acontecer por diferentes fatores e tende a ser ainda mais prejudicial quando o estresse é associado ao descuido com a higiene da boca. A preocupação maior é que esse é um problema que afeta muitas pessoas. Então, preparamos este artigo para fazer um alerta.

Continue lendo para entender qual é a relação entre o estresse e a saúde bucal para que você possa se prevenir e cuidar melhor do seu sorriso.

O que acontece no organismo da pessoa estressada?

Você sabia que nem sempre o estresse é um problema? Isso porque ele consiste em uma reação natural da pessoa quando ela se sente ameaçada, o que faz com que se mantenha em estado de alerta para uma possível reação ou fuga.

Porém, quando o estresse é excessivo esse estado de alerta se mantém de forma constante, e isso traz problemas para a saúde como um todo. Afinal, em períodos estressantes, o organismo libera hormônios como cortisol, adrenalina e hidrocortisona. Eles têm um efeito que favorece as inflamações, e é aqui que entra a relação entre o estresse e a saúde bucal.

Por que o estresse desequilibra a saúde bucal?

Como os hormônios liberados durante os períodos estressantes favorecem os processos inflamatórios no organismo, isso também tende a afetar a saúde das gengivas. O estresse favorece ou potencializa a manifestação de doenças periodontais. 

Sendo assim, a pessoa fica mais suscetível a ter gengivite ou periodontite, por exemplo. Se isso for associado a uma escovação ineficiente, as chances de ter inflamações são maiores.

Pode acontecer de a pessoa estressada não ter muita paciência para cuidar dos seus dentes da maneira adequada, realizando todas as escovações e usando o fio dental. Sendo assim, a placa bacteriana se associa ao efeito pró-inflamatório dos hormônios e aumenta os riscos.

Outro efeito negativo do estresse é que ele pode prejudicar a produção de saliva. A boca seca facilita a proliferação de micro-organismos que causam inflamações e contribuem para a formação de cáries.

Certos comportamentos são intensificados pelas situações estressantes, como mordiscar os lábios ou as bochechas. Esse hábito contribui para a formação de aftas.

Não podemos esquecer a relação entre os aspectos emocionais e o bruxismo. Então, quando a pessoa está muito estressada, a tendência é de que o ranger de dentes se manifeste de uma forma ainda mais intensa, trazendo consigo todos os sintomas e complicações que provoca. 

Mudanças prejudiciais nos hábitos

Vemos uma relação estreita entre o estresse e a saúde bucal também no que diz respeito às mudanças de hábito da pessoa. A tendência é de que, ao vivenciar situações estressantes, ela intensifique o consumo de bebidas alcoólicas e até mesmo o uso do cigarro.

Como você já deve saber, esses dois hábitos comprometem o equilíbrio da saúde bucal por alterarem o pH da boca, impactarem a circulação sanguínea das mucosas, afetarem a produção de saliva e em função do contato com as toxinas do cigarro.

Há, também, a questão da alimentação. Quando a pessoa está estressada, é bastante comum buscar uma compensação na comida. Nesse caso, doces e carboidratos costumam ser mais atrativos. Por isso, a placa bacteriana se forma com mais facilidade, o que contribui para o tártaro também, além de o pH da boca se tornar mais ácido. Por tudo isso, é fundamental identificar o estresse excessivo e adotar medidas que ajudem a evitar esses abalos emocionais. Dessa forma você cuida da saúde da sua mente e, ao mesmo tempo, do organismo e da saúde bucal. Não tenha vergonha de procurar a ajuda de especialistas se for necessário. Isso é fundamental para o seu bem-estar e qualidade de vida.

Por Dra. Lícia Ney Pizzocolo Gonzalez
CRO-SP 61423. Formada pela Universidade Estadual de São Paulo – UNESP – em 1998, é pós-graduada pela UNICAMP em especialização de periodontia e pela ABCD em especialização de ortodontia. Atua na área de estética, periodontia e ortodontia e também é Invisalign Doctor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 | 10 / 06 / 24
O equilíbrio da saúde bucal contribui para manter o organismo como um todo mais saudável. Ao mesmo tempo, traz benefícios estéticos que fazem com que a pessoa tenha mais autoestima e autoaceitação. Com isso, sua saúde emocional é beneficiada e o indivíduo alcança mais bem-estar e qualidade de vida. O primeiro resultado que podemos perceber […]
Ler Mais
 | 20 / 05 / 24
Você sabia que nem todas as pessoas precisam fazer a extração do siso? O procedimento é recomendado quando o crescimento desse dente causa algum tipo de problema para a saúde bucal. Nas demais situações, é possível viver bem com ele. A extração de siso é um procedimento bastante comum nas clínicas e nos consultórios odontológicos. […]
Ler Mais
1 2 3 31
Ligue para agendar
magnifiercross