Logo | Ápex Odontologia

Fluorose dental infantil: quais são as causas e como tratar?

Atualizado em 25/03/2024
Tempo de leitura: 3 min.

A fluorose infantil é um problema que acontece em função do contato excessivo com o flúor durante a infância. Esse problema compromete o desenvolvimento dos dentes permanentes e tende a acompanhar a pessoa até a vida adulta.

Alguns maus hábitos que adquirimos ao longo da vida podem comprometer a saúde dos nossos dentes. No entanto, existem certas condições que começam a se manifestar nas crianças e se estendem para a idade adulta. É o que acontece com a fluorose dental infantil.

Esse problema é desencadeado por uma substância que deveria proteger os nossos dentes: o flúor. Mas não significa que ele seja o grande vilão da história. Afinal, o problema está na maneira como o flúor é utilizado.

Como essa é uma condição que se desenvolve nas crianças, os pais precisam ter bastante atenção, e foi pensando nisso que nós preparamos este artigo para você se informar melhor sobre o assunto. Continue lendo e veja como cuidar do sorriso da criança para que ela tenha uma boa saúde bucal na vida adulta.

O que causa fluorose infantil?

O flúor é um mineral que ajuda a prevenir a ação de bactérias sobre os dentes, evitando os quadros de cárie. Porém, o contato excessivo com esse elemento químico traz complicações para a saúde da dentição, desencadeando a fluorose dental.

Esse problema afeta o esmalte dentário. Ele é causado por uma grande concentração de flúor no organismo durante a infância enquanto os dentes permanentes estão sendo formados. 

O flúor é encontrado, atualmente, em diferentes tipos de alimentos, e no Brasil é adicionado também à água de consumo das pessoas. Além disso, os fabricantes de produtos para higiene bucal adicionam flúor nos cremes dentais e enxaguantes bucais.

Tudo isso pode fazer com que a criança tenha um contato muito grande com o mineral, ingerindo uma quantidade maior do que é necessário para a saúde do seu organismo e dos seus dentes. Quando isso acontece, os dentes permanentes acabam sendo prejudicados.

O esmalte deles sofre alterações que acabam comprometendo, principalmente, a estética. Sendo assim, a fluorose dental infantil é provocada pela ingestão excessiva de flúor, seja em função dos alimentos, da água ou de produtos voltados para a higiene bucal, e ainda, devido à combinação desses três fatores. 

Quais complicações essa condição provoca?

A fluorose dental infantil afeta principalmente a estética do sorriso. Isso porque o excesso de flúor no organismo faz com que o esmalte dentário se desenvolva com algumas manchas esbranquiçadas ou amareladas. Elas podem se manifestar em linhas finas, manchas maiores ou até mesmo uma alteração na tonalidade dos dentes.

Quando o quadro de fluorose infantil é um pouco mais grave, essas manchas podem ter uma tonalidade escura, entre amarelo e marrom ou castanho. Em algumas situações, compromete a resistência do esmalte dentário, inclusive, provocando sensibilidade. Isso porque o excesso de flúor causa, também, a desmineralização dos dentes.

Como é feito o tratamento da fluorose infantil?

Até o momento, a fluorose dental infantil é um problema que não tem cura. Conforme explicamos, afeta a dentição permanente durante o desenvolvimento dela, então, os dentes nascem com aquela característica.

Contudo, existem procedimentos que podem ser realizados com o objetivo de minimizar o impacto estético. Quando o quadro é mais sutil, é possível fazer a microabrasão, que consiste em um desgaste na superfície do esmalte dentário para igualar a aparência dele com os dentes vizinhos.

Os casos mais severos podem ser tratados com a aplicação de resina, a instalação de coroas ou de facetas de porcelana. Entretanto, nem sempre é recomendado que esses tratamentos sejam realizados na infância, pois são procedimentos mais invasivos para as crianças.

De toda forma, somente o odontopediatra é que pode avaliar cada caso. Afinal, a fluorose dental pode afetar de forma significativa a estética do sorriso, comprometendo a autoestima da criança.

Sendo assim, são considerados diferentes fatores na hora de definir a necessidade e o momento ideal de realizar o tratamento. Porém, conforme explicamos, não existe uma cura, apenas métodos para melhorar o aspecto do sorriso. Logo, a prevenção é o melhor caminho.

Ela é simples de ser feita. Basta evitar que a criança tenha um contato excessivo com o flúor. Isso pode ser feito evitando a ingestão de água fluoretada e com a utilização de produtos de higiene bucal recomendados para cada idade.

O odontopediatra também poderá instruir sobre aquilo que é melhor em cada situação. Afinal, existem teores diferentes de flúor nos produtos, inclusive aqueles que não contêm esse mineral. Então, vale consultar o especialista para saber como prevenir a fluorose dental infantil da melhor forma. 

Por Dr. Marcos Ney Pizzocolo
CRO-SP 56458. Formado pela Universidade Paulista – UNIP – em 1995 e pós-graduado em especialização de prótese dentária. Atua na área de estética, implante, cirurgia oral e reabilitação oral.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 | 12 / 02 / 24
Descubra como acontece a fase de transição dos dentes de leite para os permanentes e o que fazer quando esse processo começa.
Ler Mais
Ligue para agendar
magnifiercross