Logo | Ápex Odontologia

Qual a diferença entre placa bacteriana e tártaro? Quais são as causas?

Atualizado em 29/09/2021
Tempo de leitura: 3 min.
Qual a diferença entre placa bacteriana e tártaro? Quais são as causas? | Por Ápex Odontologia | Dentista SP Brooklin

Diversos problemas podem abalar a nossa saúde bucal. Enquanto alguns são mais graves, outros podem ser facilmente resolvidos com medidas simples. E é neste segundo caso onde se encaixam a placa bacteriana e o tártaro.

Apesar de não serem problemas graves, essas duas condições bucais podem desencadear outras doenças que abalam significativamente a saúde dos dentes e das gengivas. Em alguns casos, até mesmo a saúde orgânica fica comprometida por causa das bactérias que se proliferam na boca.

É por isso que neste artigo vamos falar um pouco mais sobre placa bacteriana e tártaro, a fim de que você entenda a diferença entre eles. Continue lendo e saiba também quais são as causas e como prevenir esses problemas.

O que é a placa bacteriana?

Você alguma vez já olhou para os seus dentes alguns minutos após uma refeição sem tê-los escovado? Se sim, deve ter percebido que acabam ficando com um aspecto amarelado e, principalmente perto da linha da gengiva, podemos notar que parecem ásperos.

Essa característica é causada em função do acúmulo de placa bacteriana. Ela nada mais é do que um biofilme que se forma no esmalte dentário em razão do acúmulo de resíduos de alimentos. Ou seja, são restos de comida que ficam grudados nos dentes e cheios de bactérias vivas misturadas. O biofilme recebe esse nome porque os resíduos de alimentos começam a entrar em decomposição na boca. Assim, cria-se um ambiente ideal para que as bactérias se proliferem.

Como consequência, além de os dentes ficarem com aspecto sujo, também se manifesta o mau hálito, e as gengivas podem ficar inflamadas por causa da atuação dos micro-organismos. Ao mesmo tempo, essas bactérias liberam ácidos que agridem o esmalte dentário provocando cáries.

O que é o tártaro?

Assim como a placa bacteriana, o tártaro se forma em função do acúmulo de resíduos de alimentos nos dentes. Porém, a diferença dele para a placa é que ela é o estágio inicial, e o tártaro vem em seguida.

A placa é uma massa esbranquiçada que pode ser facilmente removida com a escova de dente e o fio dental. No caso do tártaro, esse material se calcifica em função da reação com os minerais presentes na saliva, e também pelo contato com bebidas e alimentos.

Ou seja, quando a placa bacteriana não é removida ela permanece na boca até que ocorram essas reações, ficando dura e provocando o tártaro. Ele não pode ser removido em casa, mas sim por um dentista, que realizará a raspagem periodontal (tartarectomia) com instrumentos específicos.

Além de deixar os dentes com um aspecto sujo, o tártaro é rico em bactérias e, da mesma forma como a placa, elas migram para as gengivas afetando os tecidos de sustentação e causando inflamações e infecções no periodonto.

E não é somente isso, porque esses micro-organismos também migram para outras partes do corpo, como os pulmões e o coração. Nesses órgãos, eles agravam problemas pré-existentes e desencadeiam outros que, inclusive, podem levar o indivíduo à morte.

Como prevenir a placa bacteriana e o tártaro?

Apesar de serem problemas que exigem atenção, a placa bacteriana e tártaro podem ser facilmente prevenidos por meio de uma boa higienização bucal. Afinal, como dito, eles são o resultado do acúmulo de resíduos de alimento nos dentes.

Sendo assim, é importante fazer a escovação após as refeições sempre utilizando também o fio dental, já que a escova não consegue remover os restos que ficam entre os dentes. E ainda é importante lembrar que a placa e o tártaro também se forma nos dentes de leite. Por isso, os pais e cuidadores precisam estar atentos à higienização bucal das crianças. Estar atentos é colocar a mão na massa, ou seja, passar o fio e escovar os dentes de seus filhos pelo menos antes de dormir.

Para complementar esses cuidados feitos em casa, é fundamental visitar um dentista pelo menos a cada seis meses. Isso porque alguns restos de alimento podem se depositar abaixo da gengiva onde a escova nem fio alcançam. Eles precisam ser retirados por meio de instrumentos específicos, já que podem causar o tártaro subgengival.

Durante essas visitas periódicas, o profissional também remove manchas superficiais e faz aplicação de flúor. Lembrando que esse produto é fundamental para manter a mineralização do esmalte, reduzindo a sua suscetibilidade a cáries.

A placa bacteriana e o tártaro são problemas muito parecidos e que tem suas origens basicamente no mesmo fator. Ambos proliferam bactérias e abalam a saúde bucal, por isso, o ideal é fazer a devida prevenção, já que ela é simples e eficaz.

Por Dra. Lícia Ney Pizzocolo Gonzalez
CRO-SP 61423. Formada pela Universidade Estadual de São Paulo – UNESP – em 1998, é pós-graduada pela UNICAMP em especialização de periodontia e pela ABCD em especialização de ortodontia. Atua na área de estética, cirurgia oral e implante.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 | 31 / 03 / 21
Sabia que o flúor ao mesmo tempo em que protege os dentes pode fazer mal ao organismo? Entenda se ele é o mocinho ou o vilão dessa história.
Ler Mais
 | 17 / 02 / 21
O tártaro prejudica a estética do sorriso e a saúde da boca, por isso, ele precisa ser combatido. Veja como tratar esse problema e evitar suas complicações.
Ler Mais
1 2 3 28
Logo | Ápex Odontologia

Ápex Odontologia 2021 | Desenvolvido em WordPress por Surya Marketing Médico.

magnifiercross