Logo | Ápex Odontologia

A erosão dentária pode prejudicar a saúde bucal? Descubra!

Atualizado em 29/09/2021
Tempo de leitura: 3 min.
A imagem mostra uma criança escovando os dentes.

Embora nossos dentes suportem toda a carga mastigatória e o esmalte dentário apresente uma boa resistência, isso não significa que ele não se danifique. Diversas condições podem provocar agressões no esmalte dentário, em alguns casos, desencadeando a erosão dentária.

Essa condição impacta a estética, a funcionalidade dos dentes, o equilíbrio da saúde bucal e até mesmo bem-estar do indivíduo. E você sabia que até mesmo alguns dos nossos hábitos podem provocar esse tipo de agressão? É por isso que precisamos entender um pouco mais sobre esse problema.

Neste artigo explicaremos o que é a erosão dentária, quais são as principais causas desse problema, de que maneira ele afeta a saúde bucal e o que pode ser feito para prevenir. Continue lendo e veja como cuidar ainda melhor do seu sorriso!

O que é a erosão dentária?

Diversos problemas dentários afetam especificamente o esmalte do dente, e a erosão dentária é um deles. É importante entender que ela é diferente do desgaste porque, nesse caso, o tecido mineral é perdido em função de um atrito, ou seja, tem uma causa mecânica.

A erosão se caracteriza pelo desgaste que acontece em função de alterações químicas provocadas pelo contato excessivo da acidez com a superfície dentária. Na erosão podem ocorrer deformações no esmalte, enquanto que no desgaste temos a impressão de que ele foi lixado.

Quais são as causas da erosão dentária?

Como explicamos, a erosão dentária é um problema ocasionado pelo contato excessivo de substâncias ácidas com o esmalte do dente. Isso pode estar relacionado a fatores intrínsecos ou extrínsecos que levam ao aumento da acidez da cavidade bucal.

As causas intrínsecas estão relacionadas com problemas orgânicos, como o refluxo gastroesofágico. Essa condição provoca o retorno do conteúdo estomacal pelo esôfago, a garganta e até a boca, como ele é rico em ácidos responsáveis pelo processo digestivo, o seu contato com os dentes provoca a erosão.

Nas causas extrínsecas podemos citar, principalmente, a alimentação. Isso porque o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, refrigerantes, açúcar ou até mesmo frutas cítricas provoca esse aumento de acidez.

Como a erosão dentária afeta a saúde bucal?

Como você pôde ver, a erosão dentária desencadeia uma perda de estrutura do esmalte do dente, e o problema está no fato de que ele é uma camada protetora que evita o contato da dentina e da polpa com o meio externo.

Essas duas camadas mais profundas do dente são muito sensíveis, por isso, quando o esmalte não consegue recobri-las adequadamente, o indivíduo passa manifestar a sensibilidade dentinária, caracterizada por uma dor aguda especialmente pelo contato com alimentos e bebidas muito quentes ou frios.

Além dessa sensibilidade, a dentina também apresenta maior porosidade do que o esmalte dentário, então, ela fica mais suscetível ao acúmulo de resíduos e à proliferação de bactérias que vão causar a cárie e podem migrar para polpa do dente, desencadeando inflamações e infecções.

Nesse último caso, a pessoa pode precisar de um tratamento de canal, mas dependendo da extensão do problema, existe a possibilidade de perder o dente doente. Isso quando há comprometimento da raiz ou dos tecidos periodontais, que estão a sua volta.

Como prevenir a erosão dentária?

A erosão dentária pode ser prevenida de diferentes formas. Veja a seguir algumas recomendações que vão ajudar você a preservar a estrutura do esmalte dentário para garantir o equilíbrio da saúde bucal.

  • Mantenha uma alimentação balanceada, para garantir aos dentes e tecidos bucais os nutrientes que eles precisam para se manterem fortes e saudáveis.
  • Evite o consumo excessivo de bebidas e alimentos ácidos, para manter o equilíbrio do pH da saliva.
  • Modere a ingestão de bebidas alcoólicas, porque elas também têm alto teor de acidez, prejudicam o esmalte e os tecidos que sustentam os dentes.
  • Realize uma boa higiene bucal, para eliminar todos os resíduos depositados no esmalte e garantir o equilíbrio do pH da saliva.
  • Utilize um creme dental rico em flúor, porque esse mineral é essencial para manter o esmalte dentário resistente.
  • Trate condições orgânicas como o refluxo gastroesofágico, para evitar o contato de ácidos com os dentes.
  • Beba bastante água, porque ela ajuda a manter a hidratação do organismo e o bom fluxo salivar que, por sua vez, garante a mineralização do esmalte.

Não se esqueça de que os cuidados adotados em casa precisam ser complementados pelo dentista. Portanto, a cada 6 meses passe por uma consulta de rotina para que esse profissional acompanhe a saúde dos seus dentes e indique tratamentos antes que pequenos problemas possam se agravar.

Por Dra. Lícia Ney Pizzocolo Gonzalez
CRO-SP 61423. Formada pela Universidade Estadual de São Paulo – UNESP – em 1998, é pós-graduada pela UNICAMP em especialização de periodontia e pela ABCD em especialização de ortodontia. Atua na área de estética, cirurgia oral e implante.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 | 31 / 03 / 21
Sabia que o flúor ao mesmo tempo em que protege os dentes pode fazer mal ao organismo? Entenda se ele é o mocinho ou o vilão dessa história.
Ler Mais
 | 17 / 02 / 21
O tártaro prejudica a estética do sorriso e a saúde da boca, por isso, ele precisa ser combatido. Veja como tratar esse problema e evitar suas complicações.
Ler Mais
1 2 3 28
Logo | Ápex Odontologia

Ápex Odontologia 2021 | Desenvolvido em WordPress por Surya Marketing Médico.

magnifiercross